MATÉRIAS/REVIEWS
 
  
 
06/12/2012
REVIEW - HQ: Y - O ÚLTIMO HOMEM - VOL.10: NÃO HÁ CAUSA SEM PORQUÊ
 
 
Y - O Último Homem - Vol.10: Não há Causa sem Porquê
 
 
 
 
 
 
 
 
 


Durante três anos, a Panini Comics publicou os 10 volumes que contam a saga de Yorick Brown, o último homem da terra (na verdade, o último macho da terra pois todos os outros seres vivos com o cromossomo Y morreram). Yorick viaja pela Terra por 5 anos e, a impressão que temos, é a de termos viajado junto com ele ao longo da publicação da série.

A princípio, a ideia do último homem da Terra não parece original. Muitas histórias foram escritas abordando esse tema, porém, aqui, há uma diferença. Yorick Brown é, de fato, o último homem e não o último ser humano da Terra porque todas as mulheres ficaram. Imaginar essa premissa, pode deixar um gosto doce na boca dos leitores masculinos, porém a história mostra algo totalmente diferente. Grande parte da mão de obra mundial é composta de homens e, num caso desses, o mundo se tornaria um caos. Faltaria alimento, transporte, produtos manufaturados, energia elétrica... Praticamente pararia o mundo.

E é nesse mundo que Yorick é inserido. Ao longo da saga, ele se depara com grupos feministas radicais, disputas militares entre países para capturá-lo, conflitos psicológicos, amores e desilusões.

O autor Brian K. Vaughan constrói um personagem crível, interessante, um nerd que, de uma hora para outra, se torna o homem mais importante para a sobrevivência da humanidade. Os diálogos são sensacionais, recheados de referências à cultura pop e finalizações inteligentes ou filosóficas. Vaughan usa um estilo interessante de narrativa em que, em nenhum momento há balões recordatórios ou de pensamentos: apenas diálogos, como se fosse um filme. No máximo, uma orientação do local e do momento em que os eventos estão acontecendo. E ele faz isso de forma tão eficaz que o leitor não sente ou não percebe em momento algum a necessidade de outro recurso narrativo.

Toda a história se desenrola de forma bem amarrada, concisa, desfilando personagens interessantes e cativantes, alguns que entram e saem da narrativa deixando saudades, outros que não parecem ter importância alguma, mas ganham destaque no final da trama e, outros ainda que têm uma importância enorme no decorrer da trama e se apagam posteriormente. Tudo isso dando uma sensação de viagem, de passagem, de desenrolar da vida de Yorick.

Interessante também é observar os simbolismos com a letra Y que o autor espalha por toda a trama. Como exemplo, podemos citar a própria capa dessa edição, que mostra um velho amarrado em uma cadeira com dois fachos de luz sobre ele formando a letra. Outro exemplo é uma história na qual a Torre Eiffel aparece num cartão postal de cabeça para baixo também lembrando o Y.

O único senão em relação à narrativa em si, foi a explicação sobre o que vitimou todos os homens da Terra (que, na verdade, se deu no volume 9). Esperava-se uma explicação mais genial na edição final, mas ela não acontece. Aparece até uma outra explicação, porém desprovida de detalhes e vinda de uma personagem obsessiva, quase louca, deixando o leitor na dúvida. Outros pequenos mistérios também acabam sem solução, mas nada disso vai desmerecer a trama como um todo, que é excelente. Talvez até tenha sido proposital para mostrar que o foco da história estava, na verdade, no crescimento e amadurecimento de Yorick como pessoa e não nas causas que levam a isso.

A arte de Pia Guerra é simplista e extremamente adequada a essa história. Não é possível imaginar essa narrativa no traço de outro ou outra desenhista. Tanto é assim que, em edições passadas onde Pia não desenhou, procurou-se desenhistas com a arte muito parecida com a dela, de forma a tornar sua ausência quase imperceptível.

A edição da Panini mantém o padrão das anteriores em termos de qualidade de impressão e papel. Porém, o texto faz muitas referências a personagens políticos e, exaustivamente, à cultura pop. Nas primeiras edições, o editor inseria explicações que ajudavam a entender melhor essas referências. Essa prática, porém foi abandonada nos últimos volumes.

Y – O Último Homem é uma excelente história e merece todo o sucesso e destaque que teve ao longo de sua publicação.

Y – O Último Homem – Vol.10: Não há Causa sem Porquê (Y: The Last Man #55 a 60, Vertigo, DC Comics, 2007/2008) - Roteiro de Brian K. Vaughan, arte de Pia Guerra e José Marzán Jr. - 172 páginas - formato 17 x 26 cm - R$ 19,90 - lançado no Brasil em novembro de 2012 - Panini Comics - para ver um preview, clique aqui.

Veja mais sobre Y – O Último Homem

  facebook


 


 

Seções
HQ Maniacs
Redes Sociais
HQ Maniacs - Todas as marcas e denominações comerciais apresentadas neste site são registradas e/ou de propriedade de seus respectivos titulares e estão sendo usadas somente para divulgação. :: HQ Maniacs - fundado em 19.08.2001 :: Brasil