MATÉRIAS/REVIEWS
 
  
 
23/02/2010
ENTREVISTA: NESTABLO RAMOS NETO
 
 
Zoo
 
 
 
 
Carcereiros
 
 
Zona Zen
 
 
Pole Position
 
 
 
 
 
 



Acabei de ler o álbum Zoo, de Nestablo Ramos, da HQM: 10 andares acima de muita coisa nacional e estrangeira que li nos últimos anos. Zoo tem um argumento inteligente, perturbador, faz pensar e incomoda. Roteiro bem amarrado, cheio de sacadas contundentes e bem humoradas. Em Zoo, Nestablo mostra traço maduro, perfeito domínio anatômico e naturalidade para explorar a tridimensionalidade necessária nas HQs. Zoo é um manifesto ecológico distante dos clichês de ecopatas, em forma de soco no estômago. Quem sabe alguns estúpidos sintam o baque...

Não sou amigo do autor de
Zoo, nunca o vi, não recebi um exemplar de presente, não sei ele tem irmã bonita (tem?), mas o cara é f$%! O autor de Zoo é um exemplo para os chorões, parasitas e preguiçosos da HQ nacional: trabalhou duro para fazer bonito na estreia. E fez. Imagino o deserto que Nestablo atravessou para publicar Zoo, o quanto ralou longe das panelinhas, a espera frustrada da editora Bossa Nova...

Zoo é original, mas me remeteu a dois livros que recomendo: Simios, de Will Self; e Planeta dos Macacos, de Pierre Boule. Planeta dos Macacos, o livro, é bem diferente do filme, um dos maiores manifestos pacifistas dos tempos da guerra fria. Leia, leia, leia... Zoo também me remeteu a dois livros que gostaria de ter escrito: A Guerra das Salamandras, do tcheco Karel Tchapek, criador da palavra robô. E me levou também a A Revolução dos Bichos, de George Orwell. Zoo precisa ser lido com atenção. É rico demais em reflexão sobre o homem.
- Gonçalo Junior - jornalista, advogado e escritor de livros como País da TV, A Guerra dos Gibis, O Homem Abril, Tentação à Italiana, além de quadrinhos como Claustrofobia e O Messias - via Twitter.


Nestablo Ramos Neto
é um artista completo! Um ótimo roteirista, um talentoso desenhista, artefinalista, colorista, diagramador e muito mais. Dono de um traço firme e eficiente, Nestablo estreou no mercado profissional com sua série Carcereiros, edição lançada na década de 1990 e que caiu no gosto do público, em uma série que publicou diversos talentos nacionais. Em seguida, Neto, como é mais conhecido entre os amigos, passou a se dedicar a uma nova série que, depois de 10 longos anos, ganharia vida em uma edição lançada pela HQM Editora: o projeto Zoo. Conheça um pouco mais sobre este polivalente artista, seu início nos quadrinhos, seus próximos projetos e muito mais.

HQM: Quando você começou e qual o seu primeiro trabalho nos quadrinhos?
Nestablo Ramos Neto:
Geralmente os desenhistas começam bem cedo. Mas nos quadrinhos, eu comecei a fazer os meus por volta dos 9 ou 10 anos. Criava meus personagens e histórias para mostrar aos amigos e parentes. Não tinha preocupação com prazo nem nada disso. Eu era meu próprio editor (risos). Era muito bom!!!

HQM: É verdade que você chegou a trabalhar para os estúdios Disney? Como foi?
Nestablo:
Sim, trabalhei até uns anos atrás, mas durou pouco tempo. A demanda de trabalho cresceu muito e eu não quis parar de desenhar minhas histórias. Deixei de lado por muito tempo os projetos pessoais para trabalhar nos dos outros. Não quero mais fazer isso.

HQM: Você já fez mais algum trabalho para o mercado internacional?
Nestablo:
Já desenhei algumas páginas para uma revista chamada Red Prophet, mas nada significativo. O verdadeiro desafio está aqui, no Brasil!

HQM: É verdade que você já fez trabalhos até para uma grande rede brasileira de fast-food? E que também já ilustrou o Eddie, personagem da banda Iron Maiden? Como foi?
Nestablo:
Sim, eu criei uma das primeiras versões para os personagens da rede Giraffas, mas eles não me deixavam comer de graça por isso (risos). Fiz algumas ilustrações para o Eddie, do Iron Maden, para a revista Clip Rock. Isso foi logo depois de publicar Os Carcereiros pela Escala. Acabaram me chamando também para desenhar algumas coisas para as revistas deles.

HQM: Como surgiu a personagem Lady Dragão?
Nestablo:
Eita que essa é antiga! (risos). Foi uma revista que publiquei aqui em Brasília em 1997. A ideia surgiu mesmo em 94, quando eu tive um insight de fazer alguns personagens orientais com poderes relativos às suas tatuagens. Foi bem divertido fazer. Ainda quero voltar a desenhar esta personagem. Ela tem muita força!

HQM: O que é a série Carcereiros? Como surgiu o convite para a publicação na extinta série Graphic Talents? Depois daquela edição, você produziu mais alguma história do universo dos personagens?
Nestablo:
É algo voltado para o mundo sobrenatural, tema que adoro trabalhar! Sempre achei que a mente humana é o maior poder de todos e que muita coisa acontece na frente dos nossos olhos, mas não vemos. Os Carcereiros é isso: um grupo de pessoas especiais, mas sem poderes, que enfrentam demônios, monstros de outras dimensões que só eles podem ver. E quando algum carcereiro “mata” algumas dessas criaturas, na verdade ela fica aprisionada em sua mente. A mente do carcereiro é a “prisão”. Esse projeto foi muito bem comentado pelo Jornal do Brasil e pela crítica especializada em quadrinhos na época. Depois resolvi criar outras coisas, trabalhar novos temas e deixar a ideia dos carcereiros amadurecer mais. Atualmente estou desenvolvendo uma série de histórias curtas no universo deles. Ainda vai demorar um pouco, pois estou trabalhando em outros projetos. Mas vai sair! (risos)

HQM: Do que se trata a série Zona Zen? Ela será lançada de forma impressa em algum momento?
Nestablo:
É sobre um cara normal, com uma vida nem tanto normal (risos). Zen é um rapaz que é verdadeiro, sem máscaras. Ele tenta ser o que é num mundo onde as pessoas não são o que realmente são. É um alienígena humano em seu próprio planeta. As histórias abordam os relacionamentos amorosos, mas também tento diversificar apresentando histórias sobre pessoas com problemas no trabalho, na família, com amigos, mas tudo de forma divertida e mostrando o lado bom de se viver na Terra e ser um humano que sente!

Zona Zen era publicada na revista Tablado, aqui em Brasília, mas infelizmente precisei me afastar para dar continuidade a outros projetos e meu trabalho mesmo, aquele que bota o feijão na mesa (risos)! Uma coletânea seria publicada pela editora Bossa Nova, mas deram para trás no projeto de publicação de quadrinhos deles. Uma pena. Mas já está praticamente acertado para sair em algum momento pela HQM. 

HQM: Do que se trata o projeto Zoo? Há quanto tempo ele existe? Como veio a inspiração?
Nestablo:
Zoo fala sobre como seria o mundo se os animais tomassem conta e nós fôssemos seus bichinhos. Criei em 1999, depois de ver uma matéria sobre uma modelo muito famosa dizendo que não desfilaria com peles de animais, mas foi flagrada usando uma. Eu pensei: com seria se fosse o contrário?

Então resolvi produzir uma história pequena, a "Zoo Fashion Week", mas as ideias foram crescendo e logo precisei abordar outras injustiças que os humanos fazem com os animais. Na época que comecei a trabalhar nas histórias complementares para o álbum, fui pesquisar em campo, falei com pessoas de ONGs que trabalham para ajudar os animais e aquilo precisava ser mostrado!

HQM: Como foi o lançamento do álbum pela HQM Editora? Tem sentido alguma repercussão?
Nestablo:
O lançamento foi maravilhoso! Tive a chance de falar com pessoas que estavam esperando pelo álbum já há algum tempo e mandavam dúvidas por e-mail e queriam conversar comigo sobre o assunto. A oportunidade foi mais que bem-vinda e espero ter conseguido dar atenção a todos. Só tenho a agradecer à HQM por acreditar no projeto! Não é qualquer editora que tem a coragem de publicar material independente.

HQM: Zoo é o seu primeiro trabalho lançado de forma profissional para o mercado brasileiro? Ele terá continuação? O que você pensa sobre o futuro da série?
Nestablo:
É meu primeiro álbum. Já lancei publicações menores antes, mas nada tão grande. Sim, haverá uma continuação! Felizmente tem tema pra caramba para ser abordado dentro do universo Zoo. No próximo volume, quero responder questões que foram feitas no primeiro e abordar mais a fundo as motivações dos personagens. E mais para o futuro ainda, mostrar mais... Epa, isso eu não posso dizer! Terão de esperar! Por hora já tem bastante surpresa vindo por aí (risos)! 

HQM: Em Zoo, existe algum personagem baseado em pessoas reais?
Nestablo:
Sim! Às vezes uso algumas pessoas como referências, seja um amigo, um político, minha esposa - a esquilinha do desfile (risos). Acho interessante usar isso, pois dá mais força para o personagem e à história. Sem falar que são homenagens a essas pessoas muito queridas por mim!

HQM: Por que o álbum tem duas capas diferentes? Como surgiu essa ideia?
Nestablo:
Como leitor, eu acho o máximo quando editoras lançam duas opções de capa! A princípio seria apenas a primeira capa, mas como estava desenvolvendo o banner promocional e o editor achou muito bacana a arte que escolhi para a peça, ele resolveu colocar como uma segunda opção! Não poderia ser melhor!

HQM: Uma de suas grandes qualidades, sem dúvida, é por ter projetos onde você próprio cria, escreve, desenha, artefinaliza, colore, baloniza, diagrama etc. Resumindo, um artista completo. O que acha disso? Já disseram isso pra você?
Nestablo:
Já me disseram sim, mas foi mais pela necessidade mesmo. Eu queria falar sobre coisas diferentes e relevantes para as pessoas e nem todo mundo divide as mesmas ideias que você. Então, tive de aprender a trabalhar sozinho.

HQM: Além de Carcereiros, Zona Zen e Zoo, você tem mais algum projeto em andamento?
Nestablo:
Sim, estou trabalhando com a HQM Editora e o Alexandre D’Assumpção num projeto sobre quadrinhos bíblicos e um mangá brasileiro chamado Pole Position, também em parceria com a editora e o Alexandre.

HQM: Do que se trata a série Pole Position? Qual o diferencial da série em relação às outras já publicadas?
Nestablo:
Pole Position é um mangá brasileiro de aventura sobre corrida de carros. Queremos fazer quadrinhos sobre esportes e as corridas de carros são uma excelente escolha. O diferencial desse mangá são os carros de corrida, todos gerados em tecnologia 3D. Vamos mostrar muita coisa legal nesse projeto. Aguardem!

HQM: Deseja deixar algum recado para os autores que estão começando no mercado?
Nestablo:
Produzam mais quadrinhos e ajudem a fortalecer o mercado nacional, que está muito carente de profissionais verdadeiros e éticos.

Para conhecer mais sobre os trabalho de Nestablo Ramos, acesse os endereços: http://nestablo.blogspot.com/, http://www.zonazen10.blogspot.com/ e http://www.projetozoo.blogspot.com/.

Veja também:
Preview do álbum Zoo, de Nestablo Ramos

  facebook


 
Tags : Gonçalo Junior, Nestablo Ramos Neto, Carcereiros, HQM Editora, Zoo, HQM: Quando você começou e qual o seu primeiro trabalho nos quadrinhos?Nestablo Ramos Neto:, HQM: É verdade que você chegou a trabalhar para os estúdios Disney? Como foi?Nestablo:, HQM: Você já fez mais algum trabalho para o mercado internacional?Nestablo:, Red Prophet, Giraffas, Eddie, Iron Maden, Clip Rock, Escala, HQM: Como surgiu a personagem Lady Dragão? Nestablo:, Jornal do Brasil, HQM: Do que se trata a série Zona Zen? Ela será lançada de forma impressa em algum momento?Nestablo:, Zen, Tablado, Bossa Nova, HQM: Do que se trata o projeto Zoo? Há quanto tempo ele existe? Como veio a inspiração?Nestablo:, HQM: Como foi o lançamento do álbum pela HQM Editora? Tem sentido alguma repercussão?Nestablo:, HQM: Em Zoo, existe algum personagem baseado em pessoas reais?Nestablo:, HQM: Por que o álbum tem duas capas diferentes? Como surgiu essa ideia? Nestablo:, HQM: Além de Carcereiros, Zona Zen e Zoo, você tem mais algum projeto em andamento?Nestablo:, Alexandre D’Assumpção, Pole Position, HQM: Do que se trata a série Pole Position? Qual o diferencial da série em relação às outras já publicadas?Nestablo:, HQM: Deseja deixar algum recado para os autores que estão começando no mercado?Nestablo:




 

Seções
HQ Maniacs
Redes Sociais
HQ Maniacs - Todas as marcas e denominações comerciais apresentadas neste site são registradas e/ou de propriedade de seus respectivos titulares e estão sendo usadas somente para divulgação. :: HQ Maniacs - fundado em 19.08.2001 :: Brasil