MATÉRIAS/REVIEWS
 
  
 
17/01/2007
COLUNA - AS RENEGADAS: AS HQS INÉDITAS NO BRASIL
 
 
Godland
 
 
 
 
Fear Agent
 
 
The Gray Area
 
 
Salamander Dream
 
 
 
 
 
 



Caros leitores! Voltamos à nossa programação normal após mais um de nossos especiais. Nesta edição da coluna, vou falar um pouco de uma série que hesitei um pouco até agora: Godland. Já li muito sobre a série, mas não tinha tido coragem de ler a própria até hoje e acabei ficando surpreso. Após isso, Fear Agent e mais duas renegadas. Vamos lá?


:: Godland
Quantas pessoas já mudaram os quadrinhos? Difícil dizer, e muitas dessas são grandes inspirações até hoje. Jack Kirby brincou sua vida inteira com personagens cósmicos, e Joe Casey conseguiu fazer algo muito parecido em Godland. Com certeza a série mais psicodélica que eu já li e com certeza a série mais divertida que essa coluna já falou até agora.

Adam Archer é o único sobrevivente de uma missão tripulada a Marte, e lá, descobre uma máquina antiga que ativa poderes em si. Quando volta à Terra, o herói e suas três irmãs vão trabalhar para uma agência governamental de defesa. Porém, Adam não é o único que tem poderes, e ao longo de suas missões encontramos arquiinimigos tão carismáticos que são mais legais que o próprio herói, como Basil Cronus e Discórdia. Outros heróis, como Crashman, vão aparecendo ao longo do caminho, e tudo indica que um novo grupo de heróis ficará para a história.

A arte de Tom Scioli é fantástica, lembrando muito o Surfista Prateado de Stan Lee e Kirby, mas as cores de Bill Crabtree (o mesmo colorista de Invencível) são, com certeza, o diferencial da série. Os personagens desenhados não são usuais, e as cores fortes e sem combinação alguma fazem tudo ficar mais bonito.

Um último ponto que vale ser ressaltado: a série é repleta de elementos pop, referências que fazem qualquer um com um bom conhecimento dar boas e altas risadas.


:: Fear Agent
Muita porrada espacial!! Gosta? Rick Remender e Tony Moore gostam, e por isso lançaram Fear Agent, pela Image. E Heath Huston gosta de se declarar caçador de aliens, essa é sua profissão.

Tudo começa com um ataque a uma distante estação espacial cargueira, e Heath está em outro planeta, caçando alguns monstros à procura de um foguete perdido. Quando ele parte para a estação espacial, encontra uma cientista que explica que os atacantes pretendem exterminar a Terra, planeta natal do nosso Fear Agent.

A primeira edição da revista nada mais é do que a apresentação do personagem, mas a partir da segunda a ação já começa. É um jeito estranho de se contar a história. Ela começa em certo ponto e não explora a origem de Heath, e eu ainda duvido que ela seja explorada alguma vez.

Tony Moore está mais uma vez impecável nos desenhos, que agora ganham cores. Se sua arte já era boa em Os Mortos-Vivos: Dias Passados, com somente tons de cinza, imagine agora. Já o roteirista, não poupa xingos e piadas para construir uma boa história. Explorar um cowboy do espaço alcoólatra não é para qualquer um.


:: The Gray Area
Em meados de 2004, a Image chamou dois grandes nomes dos desenhos, John Romita Jr. e Klaus Janson, para fazer The Gray Area, uma mini-série em três edições sobre um policial corrupto que trabalha para a máfia, e que ao mesmo tempo a combate. Ele é assassinado, assim como toda a sua família.

No além, ele chega na Área Cinza, uma espécie de purgatório para onde vão os que não são tão corruptos para irem ao inferno e nem tão bons para ir para o céu. Um lugar, acredito eu, onde todos nós pararíamos quando morrermos. Um tipo de limbo. Lá, ele se torna o guardião do lugar, após passar por um grande treinamento, e agora quer vingança.

Vou falar bem a verdade: não gostei da história. É puro lenga-lenga, além dessa coisa de vida após a morte para um detetive que não se redimiu na Terra. Sei lá.  Para mim isso foi uma tentativa bem ruinzinha de imitar Hellblazer de uma forma um pouco diferente. Bom, não custa tentar.


:: Salamander Dream
Mais do que uma história em quadrinhos, Salamander Dream, da artista Hope Larson, é um livro para crianças. Ela se coloca na história de uma menina que vivia perto do campo e que tinha como melhor amigo uma salamandra.

Enquanto ela crescia, ela deixava a salamandra de lado, pois seus amigos tinham revistas, contavam-lhe segredos e também eram humanos. A salamandra ficava triste, porque gostava de contar histórias sobre a natureza para a garotinha. Por fim, ela vai para a escola, mas percebe que toda a magia da infância tinha que continuar dentro de si.

Em preto, branco e verde, Larson faz um álbum grande, porém simples, com uma bonita moral, de não deixar nunca o mundo adulto encobrir nossas vidas. Álbuns assim poderiam ser lançados por editoras brasileiras para o público mais jovem.


Na próxima coluna: The Exterminators, Perhapanauts e muito mais. E não se esqueça: se você quer ver nesta coluna o seu título preferido e que ainda está inédito no Brasil, envie suas sugestões para billybatson@hqmaniacs.com. Até a próxima!

  facebook


 


 

Seções
HQ Maniacs
Redes Sociais
HQ Maniacs - Todas as marcas e denominações comerciais apresentadas neste site são registradas e/ou de propriedade de seus respectivos titulares e estão sendo usadas somente para divulgação. :: HQ Maniacs - fundado em 19.08.2001 :: Brasil