HQ NO BRASIL
 
  
 
25/01/2008

Spoiler: Mike Carey fala sobre X-Men: Legacy

Conforme anunciamos anteriormente, o título mensal dos mutantes nos EUA muda de nome a partir da edição #208, com lançamento marcado para o dia 28 de fevereiro. Passa a se chamar X-Men: Legacy, mas essa é apenas uma das alterações que aguardam os Filhos do Átomo. X-Men: Legacy terá vários desenhistas; inicialmente, a arte fica a cargo de John Romita Jr. e Scott Eaton. O roteirista da série, Mike Carey, falou sobre o que vem por aí.

Nessa semana, os leitores viram o fim da saga Messiah Complex, publicada em X-Men #207. Em Legacy, Charles Xavier embarca em uma busca, examinando como seu sonho de uma coexistência pacífica entre humanos e mutantes afetou o passado e o presente.

O problema é que Xavier levou um tiro no final de Messiah Complex. Carey manda os leitores prestarem atenção no último quadro da página 29 da edição: “O corpo de Xavier desapareceu. E parece que ninguém notou de imediato. Algo muito estranho está acontecendo”.  X-Men: Legacy se inicia imediatamente após os eventos de Messiah Complex. “O problema em que Xavier se encontra é decorrência direta daquelas cenas finais”, explica Carey, referindo-se à página escurecida ao final de X-Men #207.

Em Legacy, Xavier examina eventos do passado e presente da equipe, tanto aqueles em que se envolveu diretamente, quanto aqueles em que teve um papel menor. Ele não está só a passeio, ele está em busca de uma coisa. “Definiremos o objeto de sua busca no arco inicial, e então seguiremos em frente”, afirma Carey.

Vários personagens cruzam o caminho do Professor, como os Acólitos, a Sentinela Ômega e um grande vilão do passado. Esses encontros não são aleatórios, Xavier tem propósito por trás de sua busca, diz Carey. E acrescenta: “Vampira aparece de relance no primeiro arco. Mas só no segundo ou terceiro que ela e Gambit se tornam peças essenciais para a história”.

Charles será o único personagem fixo de Legacy. A princípio, sua busca não chama a atenção, mas à medida que Xavier começa a revirar o passado isso muda, e alguns personagens começam a procurá-lo. Ao longo da história, Charles entra em contato com vários X-Men, mas nem todos ficam exatamente felizes de rever o mentor.

X-Men: Legacy não tem planos para terminar por enquanto. Carey já tem o primeiro ano delimitado. “Haverá resultados positivos e negativos para as ações de Xavier”, diz o roteirista. “Muitos momentos e personagens icônicos serão revistos, mas haverá também surpresas e revelações”.

Os X-Men são uma equipe de super-heróis criada por Stan Lee e Jack Kirby em 1963. Os mutantes são pessoas que nasceram com poderes super-humanos latentes, que geralmente se manifestam na puberdade. Temidos pelo restante da humanidade, os mutantes são ensinados pelo Professor Xavier a controlar suas habilidades. A HQ já ganhou três adaptações para o cinema, além de séries animadas e jogos de videogame e computador.

Mike Carey é um escrito inglês de quadrinhos. Ficou conhecido nos anos 1990 por escrever títulos da linha adulta Vertigo, da DC Comics, como Lúcifer e Hellblazer. Atualmente, trabalha para a Virgin, para a Marvel Comics, onde escreve X-Men, e para a DC, onde desenvolve HQs para o selo Minx.



  facebook

 

 



 


 

Seções
HQ Maniacs
Redes Sociais
HQ Maniacs - Todas as marcas e denominações comerciais apresentadas neste site são registradas e/ou de propriedade de seus respectivos titulares e estão sendo usadas somente para divulgação. :: HQ Maniacs - fundado em 19.08.2001 :: Brasil