HQ NO BRASIL
 
  
 
02/08/2005

Quadrantes dos Quadrinhos: 28/7

Quadrantes dos Quadrinhos é o novo resumo do Neorama dos Quadrinhos. Agora em um formato mais dinâmico, o Quadrantes dos Quadrinhos mostra todos os dias, 10 notas seletas do mundo sobre a Nona Arte, com texto final de Marko Ajdaric.

Confira as notas do dia 28 de julho:

Adeus, Marten Toonder
Desde ontem, não se encontra mais entre nós Marten Toonder, um dos mestres dos quadrinhos infantis europeus. Toonder, nascido em 1912, é considerado pela maior fonte de biografias de quadrinhistas do mundo, a Comiclopedia (que é sediada na Holanda), o autor mais importante dos quadrinhos holandeses, especialmente pela sua influência sobre os autores que se seguiram.  Dono de uma rara combinação de qualidades como ilustrador e narrador de estórias, sua série de maior repercussão foi ´Tom Poes en Heer Bommel´ (traduzida em inglês por ´Tom Puss and Mr. Bumble´), que foi produzida quase sem interrupções por 45 anos em 174 estórias, a partir de 1941, em plena ocupação nazista. O sucesso dos personagens, uma dupla de formada por um gato e um urso adoráveis  logo se transformou em outras extensões de seu talento: calendários, brinquedos, cartões postais e cinema, Toonder chegou a ser conhecido, pela proficiência de suas atividades com o Walt Disney holandês. Vale ressaltar que Toonder não aceitou continuar a série apenas quando os nazistas tomaram diretamente a direção do jornal De Telegraaf, tendo apoiado diretamente a resistência, inclusive, fundando uma revista para apoiar este esforço nacional, chamada Metro, com alguns amigos. Com o fim da guerra, rapidamente as obras de Toonder ganharam edições em mais 9 idiomas. A série ´Koning Hollewijn´, lançada por ele no De Telegraaf, também teve republicações em sueco, francês e dinamarquês. Quando Toonder completou 90 anos, a cidade de Rotterdam, sua cidade Natal, lhe conferiu uma rara honraria para quadrinhistas vivos: um monumento de 6 metros de altura. A Argentina pode se orgulhar de ser, de certa forma, a causadora deste talento incomum: foi só quando Toonder conheceu Dante Quinterno, o criador de Patoruzu e Patoruzito, que as possibilidades da Nona Arte despertaram no então rapaz de 19 anos o gosto por organizar pensamentos com imagens e letras. A versão em holandês da biografia de Toonder, na Comiclopedia, traz algumas preciosas ilustrações para rapidamente perceber a unicidade - pelo menos- de seu traço.

O Frankfurter Allgemeine lança série de quadrinhos
A partir de 1º de agosto, um dos jornais de maior respeitabilidade na Alemanha, o Frankfurter Allgemeine, se soma à onda de boas publicações de quadrinhos associadas a jornais, na Europa, numa iniciativa conjunta com a revista Bild. Pelo preço de 5 euros, 12 títulos da chamada Bild Comic-Bibliothek vão chegar às bancas alemãs com títulos antológicos dos quadrinhos, como Astérix (o 1º título), Mickey, Lucky Luke, Popeye, Tintin e Spirou, a cada segunda-feira, com uma média de 200 páginas. Em outubro,  a coleção completa será vendida por 50 euros. Vale ressaltar que o Frankfurter Allgemeine também preza muito a inteligência e o tempo dos leitores quando dedica matérias sobre quadrinhos.

Nona Arte pela pátria
O 28 de julho marca a data nacional máxima dos peruanos, a independência. Um dos dois blogs peruanos que têm se integrado à comunidade internacional de notícias de quadrinhos, o Lanuez, dirigido pelo cartunista Javier Prado, resolveu incorporar o time da Nona Arte a uma interessante corrente da chamada blogosfera peruana, a ´´Bloggers unidos por Fiestas Patrias´.  Durante o dia, uma o blog publica uma seleção trabalhos de autores não só da caricatura e dos cartuns, mas também das HQs (o que inclui o grande nome ´emigrado´ da Nona Arte peruana, Boris Vallejo) e da ilustração. Além deste desfile virtual, o blog traz outras formas de mostrar a cultura peruana, como receitas típicas e música. Ainda se pode enviar saudações e contribuições para a iniciativa, e pelo que conhecemos dos colegas do La Nuez, eles não devem cobrar por ´cópias´ da idéia. O Lanuez também publicou um cartum bastante forte sobre o que seja liberdade para marcar a data, de autoria de um dos grandes nomes da caricatura peruana, Kerry, que pode ser visto neste link.

Dylan Dog no cinema
Um dos assuntos (pelo que parece, voluntariamente) entre os mais interessantes do ano em termos de quadrinhos que vinha apresentando poucas informações substanciais é ´The Fourth Kingdom´, a adaptação para o cinema de Dylan Dog, o personagem da Bonelli que associa bem fechadas tramas detetivescas ao suspense. Nesta semana, o portal brasileiro Tex.br, que agrega apreciadores brasileiros de vários títulos da editora italiana contribuiu de forma decisiva para que aos fatos relativos ao se tornassem claros.  Marcelo Tomazi Silveira, curador da seção Dylan Dog do portal entrevistou diretores da  Platinum Studios e da The Shop, as empresas responsáveis pela produção do filme. Eles confirmaram que o script já está sendo escrito, que o filme será mesmo realizado em CGI, e falaram do entusiasmo com o personagem  e da relação com Tiziano Sclavi, o criador do personagem. Confira este belo furo bonelliano, neste link.

Pierre Christin faz 67, com fôlego de 17
Pierre Christin, que inseriu de vez a ficção científica no mundo da BD, nos anos 70, já usando conceitos como hyper-tempo e hyper-espaço (em parceria com o desenhista Jean-Claude Mézières), com a série Valérian, completou 67 anos ontem. Mas pelo que foi anunciado esta semana, continua tão ativo quanto sempre, a despeito de um curto período de afastamento: Christin está trabalhando em 6 projetos de quadrinhos, simultaneamente. Além de um novo volume de Valérian, sempre com os desenhos de Mézières, o roteirista prepara o 4º álbum da série policial Agence Hardy com a desenhista Annie Goetzinger; com Alain Mounier, ele prepara uma HQ sobre um condomínio residencial de alta segurança para ricaços; com Miguelanxo Prado, ele prepara um livro ilustrado; Com André Juillard, um álbum sobre o tema do terrorismo, com o título já anunciado de ´Le Long Voyage de Léna´, que abordará o problema do terrorismo e ainda, um romance leve sobre a normatividade social.

Sergio Toppi em 1602
No dia 4 de agosto, a série 1602, criada por Neil Gaiman, volta às gibiterias dos EUA, em uma nova série de 6 gibis, mas com novas assinaturas: roteiros de Greg Pak (que também está envolvido com o novo título de Battlestar Galactica) e arte do brasileiro Greg Tocchini. Está certo que o próprio Gaiman afirma que 1602, uma transposição dos super-heróis da Marvel para o Século XVII, é uma estória leve, e não se insere em suas contribuições mais autorais que redimensionaram as possibilidades dos quadrinhos, nos EUA. Mas a Marvel providenciou uma apresentação mais que especial para os gibis: as capas serão do grande mestre italiano Sergio Toppi. Um acréscimo a aplaudir, sem dúvida. Resta esperar a série chegar às mãos de leitores e críticos para ver o que as novas aventuras de Hulk e Homem-Aranha no passado vão acrescentar.  

A volta de Tsutomu Nihei
Os leitores norte-americanos voltam a ter contato com Tsutomu Nihei, depois da série Wolverine: Snikt!, publicada pela Marvel em 2003, em que o mangaká  deu uma roupagem toda nova ao mais popular dos X-Men. O retorno se dá através de Blame!, mangá originalmente lançado pela japonesa Kodansha, a maior editora de mangás do mundo, e que já tem 10 volumes lançados. Em Blame!, o protagonista, Killy, é um homem de poucas palavras que se move em um futuro datado de 3.000 anos além de nossa era onde contra cena com cyborgs e outros seres humanóides, sempre acompanhado de uma arma poderosíssima. Apresentado como um mangá cyber-punk que contrapõe as ações a um cenário onde o traço de Nihei recupera a sua formação acadêmica de arquiteto, o mangá já foi lançado na França, Itália, Espanha e Alemanha, onde foi considerado uma obra mais autoral do que Wolverine: Snikt!. A Tokyopop, responsável pelo lançamento do título avisa que a série não será ´adaptada´ com os cortes tão comuns no mercado americano em se tratando de mangás. O primeiro número chegou às gibiterias americanas este mês, a um preço médio de 10 dólares, para um volume em preto e branco de 256 páginas. Como o mercado americano é a grande vitrine do mundo, pode ser que tenhamos um efeito multiplicador na carreira de Nihei e de sua série.

A Barbara de Tezuka
A editora Delcourt continua sendo a grande matriz de inovações na cena francesa, com lançamentos de uma enorme variedade, que envolvem novatos, títulos de comics, bandes dessinées do Canadá francês e mangás. Entre seus lançamentos recentes, está a série Barbara, de Osamu Tezuka, cujo primeiro volume chegou às lojas especialistas em maio. Resenhas publicadas recentemente dão conta do peso e do valor da obra. Barbara é uma jovem que sintetiza vários traços da contracultura dos anos 60, e tem como contraponto um namorado escritor, de quem se torna musa. A partir disso, o grande mestre do mangá reúne, em um competente mosaico - com doses de muito bom humor - os principais traços do movimento hippie, numa série que tem tudo para mostrar aos europeus ma   is possibilidades do mangá como forma de expressão.

Sin Cinema
A Tunué, o portal especialista em quadrinhos que acreditou em seu potencial em 2004, se transformando em editora, lançou uma obra com algum senso de oportunidade e bastante profundidade: ´Sin Cinema: il Genio di Frank Miller da Daredevil e Batman a Sin City´, que incorpora à bibliografia da Nona Arte o que é mais importante do que o sucesso (ou o insucesso) do filme Sin City: a trajetória do artista. Apesar de algumas críticas (bem fundamentadas, diga-se de passagem), o livro do genovês Gianluca Aicardi permite aos novos leitores que o filme possa trazer para os quadrinhos de Frank Miller um roteiro bastante seguro, sendo uma âncora para que o filme sirva de porta de entrada para a arte do quadrinhista. Gianluca Aicardi é profissional de cinema de animação, e fundador da Ad Libitum, empresa especialista em tradução e adaptação de obras impressas e audiovisuais. Além disso, é o principal fundador da revista eMotion, dedicada ao cinema de animação. O livro, em preto e branco, com 96 páginas, custa 5 euros.

Com vocês, mestre Canini
O portal Porta Curtas, o principal veículo de difusão do cinema curta-metragista brasileiro anunciou em sua newsletter de ontem(*) a disponibilização de um material valioso para que se conheça de perto um dos mestres dos quadrinhos e do traço de humor brasileiro: Canini, que é responsável por alguns dos melhores momentos da revista Crás, uma das melhores revistas de quadrinhos 100% brasileira já publicada e por inúmeras estórias da revista infantil de mais longo sucesso ainda em circulação no Brasil, a Recreio e, last but not least, pela recriação do Zé Carioca, o único personagem brasileiro do universo Disney a protagonizar a sua própria revista. Portanto, clique aqui e seja brindado com a ficha e o acesso online a ´Kactus Canini Kid, uma Graficobioanimada´, curta de 13 minutos de Lancast Mota, (muito bem) realizado em 2004.


  facebook

Por: Marko Ajdaric, responsável pelo Neorama dos Quadrinhos

 

 



Tom Poes, de Marten Toonder
 
Blame, de Tsutomu Nihei
 
Barbara, de Osamu Tezuka
Sin Cinema


 

Seções
HQ Maniacs
Redes Sociais
HQ Maniacs - Todas as marcas e denominações comerciais apresentadas neste site são registradas e/ou de propriedade de seus respectivos titulares e estão sendo usadas somente para divulgação. :: HQ Maniacs - fundado em 19.08.2001 :: Brasil